Quantos dias longe de ti andou meu coração
em configurações mais próximas de lábios
ó amor de sião nem eu o sei
Chorar era a minha forma de ser
verde salgueiro a beira destes dias
íntimos e trémulos. E ia-me das mãos
em águas que de rio tinham só
serem as lágrimas íntimas metáforas
com que me via longe  ou  simplesmente  em ti
Não bastou adoptar meus gélidos conceitos
nem tecer de grinaldas velhas saudades tuas
nem conceder ao sol humilde do portal
a condição atmosférica dos raios


Até que tu vieste provisoriamente
encher da tua ausência um coração
que só a fome alimenta
Até que tu poisaste tão serenamente
como a tardia folha que tem
insaciável vocação de chão

 


In Aquele Grande Rio Eufrates
Ruy Belo
COR LAPIDEUM - COR CARNEUM
« Voltar