A vida é um corredor,
Quem muito corre cansa,
Com a pressa do amor
Fui duas vezes criança:

Uma na porta clara,
Outra na cave escura:
Se mais cedo o sonhara
Punha a vida segura

Na velhice prudente
Com que talvez nasci,
Mais velho que toda a gente,
Como hoje, que tanto vi.


In O Pão e a Culpa
Vitorino Nemésio
CORREDOR
« Voltar