A minha camisa rota
(Pois não tenho quem me a cosa)
É parte minha na rota
Que vai para qualquer cousa,
Pois o estar rota denota
Que a minha atenção valiosa
Para outros cimos se volta.
Mas sei que isto é nada,
Que a miséria não é mal
E que a camisa rasgada
Não me traz a alma enganada,
Em busca do Santo Graal
31 - 10 - 1933

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar