A violeta mais bela que amanhece
no vale, por esmalte da verdura,
com seu plido lustre e fermosura,
por mais bela, Violante, te obedece.

Perguntas-me porqu? Porque aparece
seu nome em ti e sua cor mais pura;
e estudar em [teu] rosto s procura
tudo quanto em beldade mais florece.

Oh! luminosa flor, oh! Sol mais claro,
nico roubador de meu sentido,
no permitas que Amor me seja avaro!

Oh! penetrante seta de Cupido,
que queres? Que te pea, por reparo,
ser, neste vale, Eneias desta Dido?
 

Luís Vaz de Camões
[A VIOLETA MAIS BELA QUE AMANHECE]
Voltar