já não possui nome nem idade nem herança
a desolação ergueu-se definitivamente
em seu redor como um silvo de navalha
à saída da desmoronada infância

ouvimo-lo deambular insone pelos corredores
onde a beleza arde na treva cegando os sentidos

noite dentro agita as mãos no escuro
descobre glicínias molhadas malvas floridas
a ténue cinza das estrelas acende-se um instante
no viço negro das rosas somente imaginadas

mas onde pernoita o corpo da criança que foi
ele sabe que não amanhecerá nunca mais

 


In O Medo
Al Berto
« Voltar