Eis-me no centro do assombro,
onde não há distinção nenhuma
entre ser queimado e ser fogo.

No centro do assombro,
mordido pelas chamas
e a mordê-las.

 


In Descida aos Infernos
Carlos de Oliveira
[EIS-ME NO CENTRO DO ASSOMBRO ]
« Voltar