É um país remoto...
Ravinas, rios no fundo...
Nem bem do ignoto
Nem bem do mundo

Se o vi, se sonhei-o
Não sei...
Um dia, donde me veio
Saberei
E, falso ou certo, isso será
Viver sempre lá.

1 - 3 - 1917

In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar