faca
repito faca
escrevo faca pelo corpo, desenho faca no peito da noite
desembaraço-me do sumo inoxidável doutra faca
faca
sorrio faca no escuro dum beco

— Hoje não matarás!


In O Medo
Al Berto
« Voltar