A vela rasgou-se em fitas. 
E quanto ao mais, desde o casco 
até a ponta dos mastros, 
o fundo do Mar que o diga. 

Cá por mim, passei o cabo. 
Cheguei aonde o Destino 
desde sempre me chamava. 
Se estou sem pinga de sangue 
depois de tantos naufrágios, 
se arribei são ou doente, 
se tenho os ossos partidos, 
é melhor não perguntá-lo. 

Basta saber que cheguei 
e que é de lá que vos falo. 


In ITINERÁRIO PARALELO , Ática, 1986
Sebastião da Gama
« Voltar