Menina dos olhos doces
Adormece ao meu cantar:
Tenho menina de trapos,
Tenho um voz de luar...

Os meus braços são a Lua,
Quando ela é quarto crescente:
Dorme menina de trapos,
Meu pedacinho de gente.

Dorme minha filha triste,
Meu farrapo de menina,
Dorme, porque eu sou a nuvem
Que te serve de cortina.

Menina dos olhos doces
Adormece ao meu cantar:
Tenho menina de trapos,
Tenho uma voz de luar...


In O LIVRO DA TILA - CANTIGAS PEQUENINAS , Atlântida Editora, 1973
Matilde Rosa Araújo
« Voltar