Leda serenidade deleitosa,
que representa em terra um paraso:
entre rubis e perlas, doce riso;
debaixo de ouro e neve, cor de rosa.

Presena moderada e graciosa,
onde ensinando esto despejo e siso
que se pode por arte e por aviso,
como por natureza, ser fermosa:

fala de quem a morte e a vida pende,
rara, suave; enfim, Senhora, vossa;
repouso nela alegre e comedido.

Estas as armas so com que me rende
e me cativa Amor; mas no que possa
despojar-me da glria de rendido.
 

Luís Vaz de Camões
[LEDA SERENIDADE DELEITOSA]
Voltar