Quem diz ao dia, Dura! e à treva, Acaba!
      E a si não diz, Não digas!
Sentinelas absurdas, vigilamos,
      Ínscios dos contendentes.
Uns sob o frio, outros no ar brando, guardam
      O posto e a insciência sua.
21 - 11 - 1928

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
« Voltar