Aqui onde se espera
— Sossego, só sossego –
Isso que outrora era,
 
Aqui onde, dormindo,
— Sossego, só sossego —
Se sente a noite vindo,
 
E nada importaria
— Sossego, só sossego —
Que fosse antes o dia,
 
Aqui, aqui estarei
— Sossego, só sossego —
Como no exílio um rei,
  
Gozando da ventura
— Sossego, só sossego —
De não ter a amargura

De reinar, mas guardando
— Sossego, só sossego –
O nome venerando...
 
Que mais quer quem descansa
— Sossego, só sossego –
Da dor e da esperança,
 
Que ter a negação
— Sossego, só sossego –
De todo o coração?

31 - 8 - 1933

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar