Sou o mendigo que não pede.
Quem fui morreu sem mais que o sonho.
Tudo o que quis meu ser impede.
Quem sou em saber o componho.

À sombra só sombra se sucede
No dia □ e tristonho.

24 - 9 - 1923

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar