Doce o fruto vista, e boca amaro,
Breve a vida ao tempo e longa alma,
      A arte, com que todos,
— Ora sem saber virando o copo vil,
Ora, enchendo-o, cientes — nos ousamos,
      Chegada a noite, despir.
20 - 2 - 1928

In Poesia , Assrio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
Voltar