Ao longe os montes têm neve ao sol,
Mas é suave já o frio calmo
    Que alisa e agudece
    Os dardos do sol alto.

Hoje, Neera, não nos escondamos,
Nada nos falta, porque nada somos.
    Não esperamos nada
    E temos frio ao sol.

Mas tal como é, gozemos o momento,
Solenes na alegria levemente,
    E aguardando a morte
    Como quem a conhece.

16 - 6 - 1914

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
« Voltar