Com tuas mãos piedosas 
Faz gestos a sonhar, 
Como quem colhe rosas 
E acha divino olhar, 
Com tuas mãos piedosas 
Faze-me repousar. 

Sim, os teus gestos lentos, 
Teus gestos suaves são 
Guias que os pensamentos 
Me guiam p’ra a ilusão 
Sim, os teus gestos lentos, 
Acabando em perdão... 

Com tão Madona arte 
De existires no gesto 
Juntas ao meu ser parte 
Do que perde, que imerso 
No teu gesto, e na Madona arte 
Me desencontro e cesso. 

c. 2-10-1915

In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar