Caminha devagar:
desse lado o mar sobe ao coração.
Agora entra na casa,
repara no silêncio, é quase branco.

In O peso da Sombra
Eugénio de Andrade
[CAMINHA DEVAGAR
« Voltar