Não sei o que é que me falta
Que não vivo como quero...
Sempre qualquer coisa espero
E isso só me sobressalta...

O quê? Saber que não tenho
Essa coisa, ou que ela venha?
Não sei...

20 - 10 - 1914

In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar