Em Deus pode haver mais e menos
Se Deus quiser
Estes momentos tão serenos
São mais Deus do que outros quaisquer.

Este sossego de luz de ouro
Sobre a água azul
São de um divino grito louro
Onde todo o choro é exul

Exul daquela divindade
Que ele é por ser
E ter a posse da verdade
Pelo acto natural de ver.

Sim, é mais Deus que as outras horas
Esta hora assim…
Tão calma, pondo tais demoras
Consciência entre mim e mim!

Fragrância próxima de Deus
Mas perto aqui…
Minha alma abre os braços para o céu
E dentro em mim o céu sorri.


In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar