A vida é um hospital 
Onde quase tudo falta. 
Por isso ninguém se cura 
E morrer é que é ter alta


1934-1935

In Poesia do Eu , Círculo de Leitores, edição de Richard Zenith, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar