Sobe a grande escada
A que vai vestida
De ser adorada.

Seu cabelo louro
É coisa vivida
Pela vida do ouro.

Seu passo a subir
É coisa sentida
Por poder sentir.

Sobe a escadaria
Como quem convida
A nascer o dia.

Não leva ninguém.
Ela é toda a vida
Com o mal e o bem.

9 - 9 - 1934

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar