Tenho uma pena que escreve 
Aquilo que eu sempre sinta. 
Se é mentira, escreve leve. 
Se é verdade, não tem tinta. 


1934-1935

In Poesia do Eu , Círculo de Leitores, edição de Richard Zenith, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar