Um sorriso de criança,
Um ar brando entre arvoredo...
E há uma súbita mudança
No que em mim tem mal e medo...

Tenho todas as doenças...
Tenho vómitos de tudo...
Não tenho força nem crenças:
Meu pensamento está mudo...

Sim, mas o bébé sorriu
E a brisa correu tão bem
Que nada disso existiu
E a vida é o que a vida tem.

 

23 - 6 - 1934

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar