MOTE

«Amaria eu, Gil amigo,
mas sou mui grosseiro e rudo».
«Quem amarias, Rodrigo?»
«Amaria, e mais no digo».
«Agora disseste tudo.»

VOLTA

Embalde logo me calo,
se encubro meu pensamento;
pois de arte meu tormento
que, sem sentir o que falo,
estou falando o que sento.
Amostro-me, Gil amigo,
aos amigos cego e rudo,
por encobrir meu perigo;
e contudo, se o no digo,
sem o saber digo tudo.

Luís Vaz de Camões
[«AMARIA EU GIL AMIGO]
Voltar