O soslaio do operário estúpido para o engenheiro doido — 
O engenheiro doido fora da engenharia — 
O sorriso trocado que sinto nas costas quando passo entre os normais... 
(Quando me olham cara a cara não os sinto sorrir). 


22 - 1 - 1929

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Teresa Rita Lopes, 2002
Álvaro de Campos
« Voltar