Que suspenso, que enleio, que cuidado
este meu, tirano deus Cupido?
Pois tirando-me enfim todo o sentido
Me deixa o sentimento duplicado.

Absorta no rigor de um duro fado,
Tanto de meus sentidos me divido,
Que tenho s de vida o bem sentido
E tenho j de morte o mal logrado.

Enlevo-me no dano que me ofende,
Suspendo-me na causa de meu pranto
Mas meu mal (ai de mim!) no se suspende.

cesse, cesse, amor, to raro encanto
Que para quem de ti no se defende
Basta menos rigor, no rigor tanto.

Soror Violante do Céu
[QUE SUSPENSÃO QUE ENLEIO QUE CUIDADO ]
Voltar