Tal mostra d de si vossa figura,
Sibela, clara luz da redondeza,
que as foras e o poder da Natureza
com sua claridade mais apura.

Quem viu ũa confiana to segura,
to singular esmalte da beleza,
que no padea mais, se ter defesa
contra vossa gentil vista procura?

Eu, pois, por escusar essa esquivana,
a razo sujeitei ao pensamento
que, rendida, os sentidos lhe entregaram.

Se vos ofende o meu atrevimento,
inda podeis tomar nova vingana
nas relquias da vida, que escaparam.

Luís Vaz de Camões
[TAL MOSTRA DÁ DE SI VOSSA FIGURA]
Voltar