Por sua Ninfa, Cfalo deixava
Aurora, que por ele se perdia;
posto que d princpio ao claro dia,
posto que as roxas flores imitava.

Ele, que a bela Prcris tanto amava
que s por ela tudo enjeitaria,
deseja de atentar se lhe acharia
to firme f como nele achava.

Mudado o trajo, tece o duro engano;
outro se finge, preo pe diante;
quebra-se a f mudvel, e consente.

engenho sutil para seu dano!
Vede que manhas busca um cego amante
para que sempre seja descontente!

Luís Vaz de Camões
[POR SUA NINFA CÉFALO DEIXAVA]
Voltar