Os sons da filarmónica vindos de longe
O que é que são
Além de sons da filarmónica vindos de longe,
Ao coração?

São saudades, não só minhas, porque eu
Sou toda a gente —
Saudades de todos, de toda a sua gente que morreu
E está ausente...

Nesta hora escuto-os, são convivas do som
Que vem sem razão...
Trazem a tristeza de um passado já bom
Ao coração...

Gente, quartos, jardins, janelas, tudo...
Tudo isso vem
Em saudade estupidamente musical do fundo
Da alma e Belém.

31 - 5 - 1931

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar