Tanto desejei deste embuste o fim
Do amor entre nós. E agora acabou.
Mas não posso fingir, nem para mim,
Que o alcançado desejo me alegrou.

Cada partida é já separação.
No dia mais feliz envelhecemos um dia.
P’ra termos estrelas há que ter escuridão,
A hora mais fresca é também a mais fria.

Não ousei hesitar em aceitar
A tua carta final, mas eu desejo
Com ciúme vago que não vou negar
Que fôssemos feitos p’ra melhor ensejo.

Adeus! Vou sorrir ou não neste momento?
Meu sentir se perde no pensamento.

 


In POESIA INGLESA II , Assírio & Alvim , edição e tradução de Luisa Freire, 2000
Fernando Pessoa
« Voltar