Ah, toca suavemente
Como quem vai chorar
Qualquer canção tecida
De artifício e de luar...
Nada que faça lembrar
      A vida,

Prelúdio de cortesias,
Ou sorriso que fanou...
Jardim longínquo e frio...
E na alma de quem o achou
Só o eco absurdo do voo
      Vazio.

8 - 11 - 1922
(about 3 a-m.)

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar