Eu amo tudo o que foi,
Tudo o que já não é,
A dor que já me não dói,  
A antiga e errónea fé,  

O que só dor deixou,
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia.
1932

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar