Não me peças mais canções
Porque a cantar vou sofrendo;
Sou como as velas do altar
Oue dão luz e vão morrendo.
Se a minha voz conseguisse
Dissuadir essa frieza
E a tua boca sorrisse!
Mas sóbria por natureza
Não a posso renovar
E o brilhõ vai-se perdendo....
Sou como as velas do altar
Que dão luz e vão morrendo.


In Tristes Cantigas de Amor


In As Canções de António Botto - Primeiro volume das obras completas
António Botto
« Voltar