a guerra daqui não mata - mas abre fissuras
nos nervos - é o que te posso dizer
deste país que escolhi para definhar

a cidade é um amontoado de lixo de tapumes
de sucata e de casas que se desmoronam
a realidade estragou os olhos das crianças

no fim do corpo em que me escondo espalhou-se
a treva onde
guardo a corola azulínea de tua ausência

e o marulho nítido de um mar que canta
e um calor sísmico nos lábios que beijaste

é-me difícil continuar a escrever-te
o que me destrói - sei que estou fodido
e tu já não és meu

preparo-me para entreabrir os olhos e
deixar escorrer a convulsão oleosa das lágrimas
e das coisas tristes

 


In O Medo
Al Berto
« Voltar