Esquece, cordeirinho branco,
Que tua mãe lá nos montes
Chama por ti sem descanso,
Os seus olhos como fontes.

Esquece, cordeirinho branco,
A mágoa de quem é mãe,
Porque matam cordeirinhos
Do presépio de Belém.

Esquece, cordeirinho branco,
Seja em paz teu coração:
Por teus olhinhos fechados
Nascem flores pelo chão!


In O LIVRO DA TILA - CANTIGAS PEQUENINAS , Atlântida Editora, 1973
Matilde Rosa Araújo
« Voltar