Aqui, neste misérrimo desterro
Onde nem desterrado estou, habito,
Fiel, sem que queira, àquele antigo erro
      Pelo qual sou proscrito.

O erro de querer ser igual a alguém
Feliz em suma — quanto a sorte deu
A cada coração o único bem
      De ele poder ser seu.

6 - 3 - 1933

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
« Voltar