Quo bem-aventurado me achara,
se o Amor tanto me favorecera
e assi como menos mostrar quisera
com ver no mais me contentara.

Inteiro e perfeito o bem lograra,
se meu desejo a mais se no atrevera;
pois, j que pude ver-vos, merecera
ao menos alcanara o que desejara.

Este desejo meu, esta ousadia
naceu comigo despois que pude ver-vos;
e, com vos ver, Senhora, se acrecenta.

Trabalho de o tirar da fantesia,
por quanto creio ofender-vos.
Mas, quanto mais resisto, mais me aumenta.

Luís Vaz de Camões
[QUÃO BEM-AVENTURADO ME ACHARA]
Voltar