página legível quase ilegível
       nuvens súbitas asas rompendo a luz
       aves
       terra sobre as máquinas do caderno de capa preta
       tinta manchas de ar frio
       agulha pulsando nas veias
       lenta
       lentamente

as palavras sujas com dedadas
estão assinaladas em itálico e
soltas a um canto rasgado da folha
estavam rabiscadas estas frases:
       o tempo encoberto para lá das brancas portas
       quase sempre fechadas
       apesar disso conheço o momento propício
       à fuga
       à morte do albatroz que perdeu a rota
       o avermelhado das luzes de vigia
       a terra enegrecendo-se sob a espessa sombra das
       aves
       nuvens pesadas rubras
       vibráteis

não percebo
dentro de momentos é cedo ainda para matar as palavras
será sempre cedo nas moradas do meu silêncio?

 


In O Medo
Al Berto
« Voltar