De Noucte a Magdalena vai segura,
Passa per homens d’armas sem temor,
Tam enlevada vai no seu amor,
Que lhe não lembra a quãto s’aventura.
 
 Indo buscar a vida á sepultura
Quando não achou nella o Redentor,
Com suspiros, com lagrimas, com dor
Movia a piedade a pedra dura.
 
Suave Esposo meu, ah meu só bem
(Co’s olhos no sepulchro começou)
Levarão-vos daqui? aqui vos tinha?
 
Quem vos levou Senhor, onde vos tem?
Torne-me, meu Senhor, quë mo levou,
Ou leve com seu corpo est’alma minha.
  

 

Diogo Bernardes
À MAGDALENA
« Voltar