Pelo Sonho é que vamos, 
comovidos e mudos. 
Chegamos? Não chegamos? 
Haja ou não haja frutos, 
pelo Sonho é que vamos. 

Basta a fé no que temos. 
Basta a esperança naquilo 
que talvez não teremos. 
Basta que a alma demos, 
com a mesma alegria, 
ao que desconhecemos 
e ao que é do dia-a-dia. 

Chegamos? Não chegamos? 

— Partimos. Vamos. Somos. 

In PELO SONHO É QUE VAMOS , Ática, 1992
Sebastião da Gama
« Voltar