Quase sem querer (se o soubéssemos!) os grandes homens saindo 
                         dos homens vulgares 
O sargento acaba imperador por transições imperceptíveis 
Em que se vai misturando 
O conseguimento com o sonho do que se consegue a seguir 
E o caminho vai por degraus visíveis, depressa. 
Ai dos que desde o princípio vêem o fim! 
Ai dos que aspiram a saltar a escada! 
O conquistador de todos os ímpérios foi sempre ajudante de guarda-livros  
A amante de todos os reis — mesmo dos já mortos — é mãe séria e 
                          carinhosa, 
Se assim como vejo os corpos por fora, visse as almas por dentro. 

Ah, que penitenciária os desejos!  
Que manicómio o sentido da vida! 




In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Teresa Rita Lopes, 2002
Álvaro de Campos
« Voltar