Queria dizer a alguém
      Como quem já lhe falou,
Não o que penso, nem bem
      O que sinto, mas o que sou.

Não por palavras — até
      Poucas palavras é vão,
E um sorriso ou olhar é
      Como fala a canção —,

Mas por um vago florir
      Da alma à flor do dizer,
Que não chegasse a abrir
      Em voz, em símbolo, ou ser...

21 - 3 - 1928

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar