Teu nome, esqueci-o,
Teu ser, o ignorei.
Teu amor, perdi-o
Está bem? Não sei
Mais tarde direi.

Nada, no momento
Em que existe, existe.
Só o pensamento
Dirá se persiste,
Se é alegre ou triste.

Bem sei que, sorrindo,
Sorriste a brincar…
Mas em eu sentindo,
Tudo isso há-de estar
Em outro lugar.

5 - 9 - 1933

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar