Afortunado Eneias, que saíste
Da destruída Tróia carregado
Com o peso feliz do Pai amado,
E assim as leis do sangue bem cumpriste;

Também nessa piedade resististe
Ao direito fatal do injusto Fado:
Se viste o pátrio ninho destroçado
Salvo quem te deu ser, ditoso, viste.

Os Penates, os sócios transportaste
Ao Lácio porto, aonde achaste abrigo,
Onde um novo Palácio colocaste.

Eu provei mais cruel Fado inimigo:
A Pátria vi arder: tu a salvaste;
Mas eu perdi o Pai, perdi o Amigo.

 

Correia Garção
« Voltar