Dai-me um nome, um só nome
para tudo quanto voa:
cardo pedra romã.

Um só nome para o desejo
ser na manhã corola
de cal, cotovia,

chama subindo
baixando até ser incêndio
de amor rente ao chão.


In Os Lugares do Lume
Eugénio de Andrade
DAI-ME UM NOME
« Voltar