Muda, sozinha, a magna treva desce.
Se eu esquecesse tudo, se esquecesse?
Bem sei, bem sei: ninguém me compreende.
Mas eu pedi que alguém me compreendesse?


In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar