Todo o animal da calma repousava;
s Liso o ardor dela no sentia,
que o repouso do fogo em que ardia
consistia na Ninfa que buscava.

Os montes parecia que abalava
o triste som das mgoas que dezia;
mas nada o duro peito comovia,
que na vontade de outrem posto estava.

Cansado j de andar pela espessura,
no tronco de ũa faia, por lembrana,
escreveu estas palavras de tristeza:

«Nunca ponha ningum sua esperana
em peito feminil que, de natura,
somente em ser mudvel tem firmeza».

Luís Vaz de Camões
[TODO O ANIMAL DA CALMA REPOUSAVA;]
Voltar