Eu estava só naquela tarde e tu vieste
de dentro povoar-me de cidade o coração
prometido para o lugar
onde costumamos deixar as palavras
Tinham  posto de novo fitas nas árvores
reuniram-se os corpos e as vozes
para todos juntos sentirem
pontualmente  a alegria
E tu pousaste então ó meu pássaro naquele coração
cingido tio meio da cidade

 


In Aquele Grande Rio Eufrates
Ruy Belo
POEMA DE CARNAVAL
« Voltar