Ai vira que vira,
Ai vira virou,
Ai vira que vira
Que o vira acabou.

Se o vira acabou ,
Viremos depressa,
Que quando ele acabou
É quando começa.

E quando começa
E não acabou.
Ai vira que vira
Que o vira virou.

Viremos o vira
Só pelo virar
Põe a alma no vira
Que vai acabar.

No vira, no vira
No vira é que estou.

Ai vira que vira,
Que vira ao virar
Que o virou que vira
Não pode acabar.

Andemos no vira
Porque eu já cá estou,
Ai vira que vira,
Ai vira que vira,
Ai vira que vira
Que o vira virou.


In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar